1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 5.00 (1 Vote)

Nesse artigo e nos próximos vamos discutir de forma introdutória alguns aspectos relacionados à prevenção de interferências, embora ainda sem começar apresentar a tecnologia envolvida. O objetivo dessa introdução à prevenção de interferências é mostrar a importância de uma "estratégia" de compatibilidade eletromagnética que deve ser aplicada a um projeto desde às fases iniciais.

No caso de equipamentos eletrônicos para aplicações industriais ou comerciais, a prevenção de problemas de EMI deve começar nos locais onde os equipamentos serão operados e antes mesmo que estes sejam adquiridos. É no ambiente da utilização final é que conseguiremos saber quais equipamentos funcionarão em conjunto com que outros e em qual ambiente eletromagnético, logo é só estudando o ambiente da aplicação final que podemos estabelecer os requisitos de EMC dos equipamentos. No caso dos equipamentos de uso doméstico é recomendável que fabricantes, ou agências do governo, etc, estabeleçam um ambiente doméstico padrão a partir do qual possam ser estabelecidos os requisitos de EMC.

A Matriz EMC

O primeiro passo para estabelecer um controle eficaz de interferências eletromagnéticas é elaborar a matriz EMC. A matriz EMC é uma tabela que lista lista as potenciais fontes e vítimas de perturbação e serve como guia para determinarmos qual trabalho de prevenção deverá ser feito.

Na matriz EMC, as potenciais fontes de perturbações são listadas na vertical e as potenciais vítimas na horizontal, e as possíveis interações são marcadas nas interseções entre linhas e colunas.

Matriz de EMC
  Potenciais Susceptíveis

Potenciais

Emissores

Potenciais

Mecanismos

de

Interferências

Uma vez listados os potenciais emissores e susceptíveis, o conhecimento dos potenciais mecanismos de interferências indica quais os requisitos de compatibilidade eletromagnética precisarão ser exigidos dos elementos da matriz. Por exemplo, se na matriz EMC de uma certa instalação constar um computador na lista dos potenciais emissores e um receptor de rádio na lista dos potenciais susceptíveis, então o computador deverá cumprir um requisito de emissões irradiadas que visa garantir que o ruído eletromagnético que resulta das transições entre os estados “1” e “0” nos barramentos digitais do computador, assim como dos transitórios de chaveamento de sua fonte de alimentação irradie para fora do chassis do computador e venha a ser captado pelo receptor de rádio.

Se todos os elementos da matriz cumprirem seus requisitos, provavelmente não teremos quaisquer problemas, mas se alguns elementos da matriz não os cumprirem (o que é bem mais comum), a matriz também serve para estudarmos as alternativas de solução. Entre as muitas soluções possíveis podemos listar: modificar os equipamentos que fazem parte da matriz para que estes passem a cumprir os requisitos aplicáveis, modificar a instalação dos equipamentos para que possíveis mecanismos de acoplamento sejam eliminados, ou ainda criar regras de utilização dos equipamentos para que potenciais emissores e susceptíveis não sejam utilizados simultaneamente. Para escolher as soluções possíveis para os problemas potenciais, devemos levar em consideração os seguintes fatores, entre outros:

  • Quais especificações de EMC não estão sendo cumpridas?

  • Se a especificação não cumprida é de emissão, há potenciais vítimas na lista?

  • Se a especificação não cumprida é de imunidade, há potenciais emissores?

  • Quantos equipamentos precisariam ser modificados?

  • Qual o custo de uma eventual modificação?

  • Existem aspectos legais ou de responsabilidade civil?

  • Existirá necessidade de treinamento de usuários?

Ao solucionar problemas de EMC por meio de instalações especiais ou regras de utilização especiais, devemos ter em mente que, uma vez que a instalação tenha sido entregue ao seu usuário final, a instalação pode ser modificada ou as regras esquecidas.

Para explicar emprego do conceito de matriz EMC na prática, vamos apresentar um exemplo: uma lanchonete que oferece aos clientes uma WiFi Zone. A matriz EMC dessa lanchonete terá os seguintes componentes: Ar Concionado, Fritadeira Elétrica, Terminais de Venda, Roteador WiFi, Microcomputadores dos Usuários, Pessoas e o Ambiente Externo.

 

Matriz de EMC
Potenciais Emissivos   Potenciais Susceptíveis
  Ar condicionado Fritadeira Terminal de vendas Micros Pessoas

Ambiente externo

Ar condicionado            
Fritadeira            
Terminal de Vendas            
Roteador            
Micros            
Pessoas            
Ambiente Externo            

 

Vamos apresentar a Matriz EMC inicialmente como uma tabela vazia que será preenchida e comentada ao longo dos próximos artigos.

Veja também:

Prevenção de Interferências (Parte II)

Prevenção de Interferências (Parte III)