Cartas de Smith

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 4.00 (1 Vote)

Nessa série de artigos vamos apresentar a Carta de Smith por meio de suas aplicações. No artigo anterior apresentamos como usar a CS para converter graficamente uma impedância dada em coeficiente de reflexão (para uma impedância característica conhecida, naturalmente ) e vice-versa.  Nesse artigo vamos apresentar o emprego da CS para fazer a determinação gráfica da impedância localizada ao longo de uma LT e do coeficiente de onda estacionária.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 3.50 (2 Votes)

No artigo anterior apresentamos a Carta de Smith (CS), ou plano do coeficiente de reflexão e mostramos os círculos de resistência e reatância constante. A partir desse artigo vamos mostrar aplicações práticas da CS por meio de exemplos, assim os leitores compreenderão como a CS pode simplificar a “calculeira” entediante que envolve o trabalho com circuitos de RF.

 

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)

Como avisamos no artigo anterior, o último sobre ondas estacionárias, a partir desse artigo e dos próximos iremos apresentar a Carta de Smith, que vamos chamar apenas de CS.
A primeira reação de qualquer aluno de eletromagnetismo ou telecomunicações ao se deparar com a CS é de aversão, afinal aquele monte de círculos espalhados de forma estranha uns por dentro dos outros parece tudo menos eletrônica.  Ao pesquisar a CS na internet com o Google, uma das primeiras imagens que aparece tem o subtítulo de “Black Magic Design”, mas uma, vez compreendida, a CS se torna um poderoso auxiliar para simplificar o trabalho tedioso de cálculo envolvido em circuitos de RF e permitir uma visualização dos fenômenos que ocorrem dentro de uma estrutura de guiagem de ondas eletromagnéticas.